Guia básico para fazer uma previdência privada

Mesmo existindo a previdência social por meio da contribuição com o INSS, cada vez mais pessoas se interessam em conhecer e fazer a sua previdência privada. Esse método de previdência é uma forma de ter uma segunda aposentadoria e manter o seu nível de consumo, já que a aposentadoria do INSS tem um teto limite.

Se você está interessado em saber mais, confira este guia básico para fazer o seu plano de previdência privada.

Quanto mais cedo começar, melhor

Não existe uma idade mínima ou máxima para começar sua previdência privada. Mas, quem começa cedo consegue contribuir por mais tempo.  Consequentemente, a renda vitalícia, que é aquela que você terá mensalmente a partir do momento em que se aposentar, será bem maior.

Os pagamentos podem ser mensais ou de uma única parcela. Uma outra vantagem é que você pode fazer contribuições adicionais sempre que tiver algum dinheiro sobrando, como recebimento do décimo terceiro, por exemplo.

Defina o valor a ser investido

Uma das vantagens da previdência privada é a flexibilidade na quantia que você deseja poupar para o futuro. Defina qual valor da sua renda você poderá investir mensalmente, levando em consideração não só o valor vitalício da aposentadoria que você receberá, mas também o período que receberá esse benefício.

Para isso, é ideal fazer uma simulação realista levando em conta alguns fatores. Confira abaixo.

Fazendo a simulação

Uma excelente maneira de montar o plano ideal de previdência privada é fazer algumas simulações. Para isso, considere os seguintes fatores:

● Tempo de investimento

● Valor investido mensalmente e sua renda mensal atual

● A renda pretendida do benefício

● Período pretendido para recebê-lo

Tipos de previdência privada

Os planos de previdência se dividem em duas modalidades: o Plano Gerador de Benefício livre (PGBL) e a Vida Gerador de Benefício livre (VGBL).

A principal diferença entre elas é a tributação. O PGBL é indicado para quem declara o Imposto de Renda pelo formulário completo e permite deduzir até o limite de 12% da sua renda anual.

Já pelo VGBL, a alíquota do imposto de renda é cobrada somente sobre a rentabilidade. Esse é o modelo mais interessante para as pessoas que fazem declaração de IR simplificada.

Como encontrar uma empresa que oferece planos de previdência privada?

No site da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), você tem acesso a todas as entidades credenciadas a realizar planos de previdência privada. Também é possível simular o benefício de acordo com cada empresa e plano de previdência escolhidos.

Continue investindo no INSS

Mesmo investindo em sua previdência privada, é recomendável continuar contribuindo com o INSS para garantir outros direitos que ele oferece, como auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez, por exemplo.

Além disso, você pode se aposentar com os dois benefícios e ter uma renda mensal maior para desfrutar este merecido momento da sua vida.

ALGUMAS PUBLICAÇÕES QUE PODEM TE INTERESSAR